quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

O que é Nacional Socialismo?

Muitas inexatidões foram ditas e escritas com relação ao Nacional Socialismo, pelo qual é necessário esclarecer o tema. Para uma análise precisa, em primeiro lugar, devemos distinguir dois planos:

HISTÓRICO: O Nacional Socialismo se inicia em 1919, como um partido político alemão de tendência socialista, e depois nacionalista, que assumiu o poder democraticamente na Alemanha em Janeiro de 1933 e se manteve no governo mais de 12 anos, até que uma coalizão internacional derrotou a Alemanha na qual se conheceu como a Segunda Guerra Mundial. A história oficial considera este o fim do Nacional Socialismo como movimento político. Porém, a partir desta data, muitos grupos e organizações continuaram difundindo suas idéias ou programas, sendo conhecidos como "neo-nazis".

FILOSÓFICO: Ao nascer, o Nacional Socialismo não pretendia ser um movimento filosófico. Foi a pedidos de Adolf Hitler, e primordialmente de pensadores como DIETRICH ECKHART, GOTTFRIED FEDER e ALFRED ROSEMBERG (durante a década de 1920 e 1930), que o Nacional Socialismo começou a realizar uma interpretação da realidade, da história, da religião e da moral, entre outros. Ao mesmo tempo, se iniciou uma busca por uma escola de filosofia que refletisse os ideais Nacional Socialistas, os mesmos que podem se resumir fortemente na revalorização da raça ariana, branca ou caucásica (e dentro desta, primordialmente a etnia germânica), no desenvolvimento da Alemanha e de suas áreas geográficas de tradicional influência. Esta primeira aproximação à revalorização da raça, referia-se especialmente no aspecto biológico do termo.

A escola de filosofia que refletia a busca dos pensadores antes mencionados era a SOCIEDADE THULE, um grupo místico que planejava a conexão do mítico reino dos hiperbóreos (proveniente do distante norte), com o desenvolvimento histórico da Europa, com ênfase no norte dela, assim como outros desenvolvimentos de tipo espiritual.

Posteriormente, foram duas pessoas as que marcaram a evolução do Nacional Socialismo Filosófico, de uma doutrina etnocentrista (germânica) a uma cosmovisão metafísica universal: CARL SCHMITT, professor de Teoria Política da Universidade de Berlim de 1933 a 1945 e JULIUS EVOLA, filósofo italiano e professor da escola de cadetes da SS de 1942 a 1944, os quais recolhem, ampliam e aprofundam desenvolvimentos de pensadores como JOSEPH de MAISTRE, DONOSO CORTÉS e RENÉ GUENÓN, sobre o tema da tradição, e o resgate da cosmovisão do mundo que tiveram os povos antigos. A cosmovisão Tradicional se baseia na concepção de Império, que historicamente ocorreu no Oriente em quatro momentos que por sua vez se identificam com quatro personagens: Alexandre Magno, Otávio Augusto, Carlos Magno e Carlos V. A tradição, da qual o Império é parte integrante, se baseia em conceitos de unidade política e unidade espiritual dentro da tradição.

Devido a influencia dos estudos de Schmitt e Evola, o Nacional Socialismo efetuou uma mudança radical de seus princípios. Isto levou a que, por exemplo, a partir de 1943 se incorporassem às SS (tropas selecionadas) não só alemães de nascimento ou raça, mas também franceses, belgas, italianos, croatas, húngaros, etc., o que, no fragor do combate, passou despercebido pela maioria dos historiadores e foi sido mal interpretado. Podemos citar o caso histórico que as últimas tropas que defenderam a Chancelaria de Berlim foram francesas do Regimento SS Carlos Magno.

Finalmente, respondendo à pergunta inicial, podemos responder que o Nacional Socialismo é uma doutrina filosófica que busca restaurar o Império como transformação da Tradição em sua concepção metafísica.

Sugerimos que o leitor busque dados e projetos na Internet dos pensadores mencionados no presente documento, e inicie (se se atreve), um estudo mais profundo sobre o tema, acabando assim com suas dúvidas e para não cair mais em repetições de argumentos panfletários e lacrimogêneos que não tem mais sustento que a cinematografia.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Anticapitalista pelo menos o capitalismo liberal, contra propriedade privada, mantida desde que seja mantido o controle estatal.
      Antidemocrático, o regime era de partido único e sectarista.
      A necessidade de criar um novo homem assim no comunismo.
      Ambos são coletivistas um de classe e outro de raça.
      O altruísmo como meta de vida, o interesse coletivo acima dos interesses individuais.

      Excluir