terça-feira, 15 de julho de 2014

Genocídio Palestino

Somente nos últimos cinco dias, pelo menos 28 crianças palestinas entre um e 17 anos de idade foram mortas em ataques aéreos do governo de Israel contra Gaza – um quarto do total de mortos –, com muitas outras feridas.
Os dados foram divulgados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) nesta sexta-feira (11). A agência da ONU alertou ainda que o litoral de Gaza está bloqueado, o que torna difícil para os civis a fuga. Em Israel, os ataques com foguetes a partir de Gaza também ameaçam as vidas de crianças israelenses, destacou o UNICEF, porém não há vítimas fatais entre os israelenses.
Para ajudar as crianças e seus pais a lidar com o medo, a ansiedade e o estresse, cinco equipes de emergência de apoio psicossocial apoiadas pelo UNICEF estão visitando casas e hospitais.
Operado por uma organização parceira do UNICEF – o Centro Palestino para a Resolução de Conflitos (PCDCR, na sigla em inglês) –, as equipes estão fornecendo os primeiros socorros e apoio psicossocial. Desde o início das hostilidades, as equipes já realizaram 90 visitas, chegando a 133 crianças.
Três mil deslocados e 34 escolas danificadas
O Escritório da ONU de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) estima que, até o momento, 512 casas tenham sido destruídas ou severamente danificadas por ataques aéreos israelenses desde o início da mais recente onda de violência, no início de julho.
A ONU informou que 542 famílias palestinas – ou 3.250 pessoas – foram deslocadas pelo bombardeio. Além disso, 34 escolas foram danificadas. Cerca de 2 mil pessoas estão recebendo assistência do Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA).
Menina caminha sobre os escombros de sua casa, destruída pelo governo de Israel, na cidade de Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, no dia 8 de julho. Foto: UNICEF/Eyad El Baba





















Menina caminha sobre os escombros de sua casa, destruída pelo governo de Israel,
na cidade de Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, no dia 8 de julho.
Foto: UNICEF/Eyad El Baba
No total, 114 palestinos foram mortos desde o início da operação militar, dos quais 88 (77%) são civis. As últimas investidas israelenses levantaram preocupações das Nações Unidas em relação a ataques contra civis e instalações não militares, incluindo a destruição de casas de supostos membros de grupos armados.
Além disso, o OCHA também informou que o lançamento indiscriminado de foguetes por grupos armados de Gaza tem como alvos principais centros populacionais de Israel, resultando em pelo menos três feridos civis.
Danos deixam 350 mil sem água e saneamento
Aumentaram os temores de uma operação terrestre israelense na Faixa de Gaza “a qualquer momento”, diz a ONU. Por conta disso, cerca de 300 mil pessoas em áreas próximas à fronteira foram avisadas para deixar suas casas.
No território palestino, a infraestrutura de água e o saneamento sofreu danos em oito locais até agora, afetando mais de 350 mil pessoas.
A ONU informou que o plano de resposta para a Palestina recebeu 164 milhões de dólares de um total de 390 milhões solicitados – cobrindo portanto apenas 42% do necessário para apoiar as pessoas mais necessitadas.
Segundo o OCHA, 90% das 1,9 milhão de pessoas mais vulneráveis – incluídas neste plano de resposta – estão em Gaza. A situação financeira nesta região é ainda pior: menos de 30% dos fundos requisitados para Gaza especificamente foram fornecidos.
Um menino palestino procura por pertences depois que sua casa foi destruída pelo governo de Israel em um ataque aéreo em Khan Yunis, Gaza. Foto: UNICEF/Eyad El Baba



















Um menino palestino procura por pertences depois que sua casa foi destruída pelo governo de Israel
em um ataque aéreo em Khan Yunis, Gaza.
Foto: UNICEF/Eyad El Baba
O UNICEF alertou na última quinta-feira (10) que a escalada da violência na região ameaça causar um dano devastador para as crianças de todos os lados. A agência da ONU pediu contenção, lembrando que “muitas [crianças] já sofreram violência e destruição durante situações anteriores”.
“O UNICEF reitera o apelo do secretário-geral da ONU para as partes para que exerçam a máxima contenção, lembrando-lhes a sua obrigação legal e moral de proteger as crianças dos danos”, disse a agência por meio de um comunicado.
fonte:http://www.onu.org.br/um-quarto-dos-mortos-por-ataques-aereos-de-israel-em-gaza-sao-criancas-diz-unicef/

Nenhum comentário:

Postar um comentário